Somos tão jovens

Imagem

A primeira providência a ser tomada após sair da sessão de Somos tão jovens é passar na livraria mais próxima e comprar a biografia O Filho da Revolução, de Carlos Marcelo, que deve ser uma representação muito melhor da vida e obra de Renato Russo que o longa-metragem dirigido por Antonio Carlos da Fontoura.

Talvez o grande problema da cinebiografia nem seja o seu fraco roteiro – com algumas frases extraídas de composições conhecidas do cantor e compositor, que soam forçadas demais na boca do personagem -, mas as interpretações pífias da maior parte do elenco que, na maioria dos casos, prende-se tão somente a trejeitos e semelhança física com os músicos que vivem na telona, o que não é suficiente para deixar o filme crível.

A cinebiografia aborda parte da juventude de Renato Russo, época da criação do Aborto Elétrico, primeira banda do músico, ao lado dos irmãos Fê e Flávio Lemos – que depois formaram o Capital Inicial, com Dinho Ouro Preto –, a tentativa de se apresentar como um “trovador solitário” e o início do Legião Urbana. O período é interessante – o ensaio de uma cena punk de Brasília, que deu origem a algumas das bandas mais representativas do rock nacional das décadas de 80 e 90 –, mas a maneira como a história foi contada é superficial e pouco convincente. O fato de o filme ser livremente inspirado na vida de Renato Russo também não ajuda a acreditar que tudo se passou como no filme.

Ainda assim, nada compromete tanto o longa-metragem quanto o elenco. Thiago Mendonça – que já interpretou o cantor Luciano no (bom) filme Dois filhos de Francisco – é, na maior parte do tempo, caricato demais, mas tem alguns bons momentos, principalmente quando canta; Bruno Torres, no papel do baterista Fê Lemos, é um dos poucos que consegue convencer; Edu Moraes, que interpreta Herbert Viana, chega a lembrar um personagem de programa de humor de tão ruim que é – por sorte, ele aparece em poucas cenas -; Ebsen Perucci (Dinho Ouro Preto), Conrado Godoy (Bonfá) e Nicolau Villa-Lobos (que interpreta o pai, Dado) também contribuem – negativamente – com suas fracas atuações. Até mesmo os experientes Marcos Breda e Sandra Converloni, que vivem os pais de Renato, parecem personagens de alguma sitcom.

Mas nem todas as interpretações são sofríveis em Somos tão jovens. Bianca Comparato, intérprete da irmã do músico, Carmem Teresa, e Laila Zaid, que vive a Aninha, são gratas surpresas. Mesmo vivendo uma personagem que não existiu na vida de Renato Russo – na verdade, ela representa todas as amigas que o músico teve -, ela consegue ser a mais convincente do elenco. É uma pena que a história de amor fraternal entre Renato e Aninha – que rende as melhores cenas do filme – seja uma invenção, pois é o que vale no filme. Dizer que a trilha sonora de Somos tão jovens é o que há de melhor no longa-metragem é de uma obviedade sem tamanho, afinal são músicas do Renato Russo – qualidade indiscutível.

Filmes que contam a história de personalidades conhecidas, em geral, dispõem da boa vontade de fãs – mesmo os de ocasião –, admiradores ou meros curiosos para serem bem sucedidos nas bilheterias, mas nem os milhares de reais que Somos tão jovens provavelmente arrecadará conseguirão apagar todos os problemas do longa-metragem. O que deveria ser uma boa representação de um músico cheio de nuances, compositor dos mais criativos, figura controversa, ácido crítico das mazelas do país, assim como aconteceu com Cazuza, o tempo não para – que tem suas falhas, mas consegue convencer e emocionar, principalmente por causa da interpretação de Daniel Oliveira -, fica na intenção. Pena. Quem sabe nas próximas tentativas!

Anúncios

Publicado por

Poliana Ribeiro

Poliana Ribeiro é jornalista, especialista em Jornalismo Cultural pela Universidade Federal do Maranhão, apaixonada por Cinema, Literatura e Cultura de um modo geral, curiosa ao extremo, fã de Foo Fighters, Feist, Marisa Monte, Fernanda Takai e por aí vai.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s